Blog

Wednesday, 22 August 2018

10 Maiores Erros em Projetos Fotovoltaicos

Rate this item
(1 Vote)

Confira quais são os erros mais frequentes que impedem um bom Projeto Fotovoltaico.

Quando temos que montar um projeto de um sistema fotovoltaico conectado à rede, precisamos pensar em cada detalhe incluso durante todo o processo do projeto.

Os procedimentos são relativamente simples, uma vez que o sistema final não é – do ponto de vista elétrico – de grande complexidade. Podemos citar como uma das vantagens do uso de um sistema fotovoltaico em residências. Em relação às configurações básicas desses sistemas, temos a seguinte classificação: sistemas fotovoltaicos isolados, híbridos e conectados às redes, sendo que cada tipo depende da disponibilidade dos recursos de energia do local.

Existem alguns fatores essenciais que precisam ser identificados em um projeto fotovoltaico, tais como: dimensionamento do sistema, área de cobertura, sombreamento, inclinação e orientação do telhado, dispositivos de segurança entre outros.

Os maiores erros dos projetos são:  

  1. Falta de sinalização: A sinalização consiste em alertar através de avisos pontos importantes do Sistema Fotovoltaico. Além de oferecer a segurança necessária, seu uso também são adequados as normas de segurança. Os pontos pertinentes do sistema e que são passíveis de ERROS são sinalização do local do inversor e sinalização do local do medidor.
  2. Aterramento: O aterramento consiste em interligar o equipamento a terra propriamente dita. O aterramento previne choques elétricos no usuário, bem como descargas elétricas que possam danificar o sistema. Um ERRO comum é não implementar o aterramento no sistema fotovoltaico, fazendo com que o mesmo fique desprotegido.
  3. Inversão de fases:  A saída dos módulos fotovoltaicos e a entrada do inversor são ambas CC. Um dispositivo CC tem a característica de possuir duas polaridades: a POSITIVA (+) e a NEGATIVA (-). Saber a diferença entre as duas é fundamental na montagem das strings dos módulos e na conexão desses com o inversor. Um ERRO comum é inverter a ligação das polaridades dos módulos e do inversor, causando MAL FUNCIONAMENTO.
  4. Proteção corrente alternada: Há um dispositivo fundamental na proteção do lado CA do sistema: o DISJUNTOR. Sua função é proteger o sistema de surtos de corrente. Um ERRO comum nesse quesito é errar o dimensionamento dos disjuntores, deixando o sistema vulnerável.
  5. Problemas no cabeamento: Os cabeamentos são elementos que conectam os inúmeros equipamentos do sistema fotovoltaico. Um ERRO comum nessa parte do projeto consiste no mal dimensionamento da bitola dos cabos, o que pode acarretar sobreaquecimento dos fios e aumento das perdas. Outro ERRO consiste na conexão imperfeita entre equipamento e cabeamento, o que pode resultar em sobreaquecimento.
  6. Mal uso de eletrodutos: São os eletrodutos que protegem os cabeamentos das intempéries do tempo. Um ERRO comum é o mal dimensionamento dos eletrodutos, o que sobreaquece os cabeamentos. Outro erro comum e mais grave é o não uso de eletrodutos. Deixar os cabeamentos expostos deixa-os vulneráveis a deterioração.
  7. Falta de DPS: O chamado Dispositivo de Proteção contra Surtos (DPS) é um equipamento capaz de proteger o sistema de sobretensões da rede. Um ERRO comum é o mal dimensionamento do DPS fazendo com que o mesmo não atue quando necessário. Outro ERRO comum é a não utilização do DPS, fazendo com que o sistema fique vulnerável a sobretensões.
  8. Potência habilitada na unidade consumidora: Cada unidade consumidora, seja ela uma residência, um comércio ou uma indústria, possui uma potência habilitada. A potência habilitada consiste na máxima potência que a concessionária pode fornecer a unidade consumidora. Um ERRO comum é projetar o sistema fotovoltaico acima da potência habilitada da unidade, condição impeditiva para conexão com a red
  9. Sombreamento e orientação: Durante o projeto é importante a análise dos entornos do Sistema Fotovoltaico para identificação de fontes de sombreamento. Negligenciar esse aspecto pode diminuir a produção de energia esperada. É recomendado, assim que possível que os painéis fotovoltaicos fiquem voltados ao Norte geográfico e com inclinação próxima a latitude local.
  10. Tensão de rede e do inversor: O inversor é um dispositivo capaz de converter a corrente contínua (CC) em corrente alternada (CA). Assim, tanto o lado de corrente contínua quanto o de alternada apresenta as suas respectivas especificações de tensão. Como o nível de tensão do inversor do lado CA precisa ser igual o nível de tensão da REDE, um ERRO comum é comprar um inversor incompatível com a rede. Por exemplo: um inversor tem lado CA igual a 380V e a rede é de 220V, ERRADO! Seria necessário o uso de um transformador para resolver essa questão.

 

 

 

Fonte: GREENER

 

 

Last modified on Thursday, 27 September 2018
Login to post comments
Copyright © 2017 TechLux Distribuidora.

Search